segunda-feira, 28 de março de 2011

Que amizades?

Estar longe de casa, do nosso país, das nossas coisas, começamos a recordar os tempos que passamos, tantas coisas vividas e que, por opções de vida, mudamos o rumo dela!

Das principais lembranças, são sempre as situações passadas com pessoas que ganhamos amizade (ou quando éramos crianças e brincávamos todos juntos, ou daquelas pessoas que se criou amizade nos nossos tempos de escola, ou sei lá mais o que.... de todas as pessoas com quem vivemos e soubemos reservar no baú das lembranças).

Mas, agora dou-me ao direito de me perguntar: Que amizades?

Vivemos numa sociedade que a maioria das pessoas só se lembram dos amigos quando sentem necessidades deles por perto, quando precisam, quando são "obrigadas" a conviver contigo pois és a pessoa que tem por perto que melhor se sente ao seu lado. Elas gostam muito de ti, são as melhores pessoas para ti, mas quando encontram outros ambientes, quando se afastam, arranjam outros amigos.

E os amigos de infância?
Esses? Aqueles amigos passados?

Passaram ao esquecimento; arranjam novas pessoas quem os faça rir. Não precisam mais de nós, que, sempre as ajudamos, sempre que nos pediam ajuda, nós nos esforçávamos para os lhes dar o apoio que tanto esperavam de nós.

Agora?

Têm tudo isso, vivem com quem lhe diz um "olá" mas não se lembram de quem as fez conhecer o que é uma amizade, de quem as fez ser acarinhadas, de quem as fez rir em primeiro lugar. Desses elas já não precisam. Substituem.

"Obrigado enquanto me serviram"

5 comentários:

Jucifer disse...

olá meu rico!!!!
mas q coisa naum
tudo q falste é uma grande verdade
nem todos nos temos o mesmo conceito de amizade alguns a tratam com descaso ou ate com interesse como tu citaste
i ovo fala da uma raiva du cão
quando akele teu suposto amigo
q nem ti zoia no zoio mas quando precisa de algo vem com cara de cadela dá vontade de manda bem ali
bom eu tenho um grande contato com muitos de meus amigos de infancia ate hj temos uma ligaç
ào enorme mas sempre tem os aproveitadores os falsos os montenhus de melda XD

bjim guriiiiiiiii

Mikasmi disse...

Concordo com o que diz.
Olho com uma certa inveja para a minha mãe e as suas amigas, amizades antigas, com conceitos de amizade diferentes dos de hoje.
Hoje acho que o conceito de amizade está um pouco desvirtuado, os amigos são mais conhecidos de que amigos, e penso que a internet contribui bastante para este estado de coisas, rouba tempo às amizades, cria amizades virtuais, e onde ficam as verdadeiras, as de mão na mão, olho no olho?

Abs
Emilia

Jackie Freitas disse...

Oi meu lindo!!!
Pois é...amizades de infância eu preservo algumas, mas acho que juntamente com a "inocência" elas acabaram perdendo um pouco do seu significado. Adquirimos novas amizades e conforme o tempo vai passando, alguns vão reforçando as verdadeiras "intenções" sejam elas oportunistas ou sinceras... Na verdade, falando na tal sinceridade, eu não me importo nem com algumas amizades oportunistas, desde que elas também sejam sinceras...rsrs... O pior são aquelas que se mostram sinceras como camada reluzente, mas lá no seu interior, escondem as mais pérfidas intenções.
Cada um sabe dos seus "amigos"...e para cada um deles acabamos criando departamentos... Se é que você me entende...rsrs
Grande beijo, meu lindíssimo Kiduxo (ai, nunca sei escrever isso! kkkkk).
Adoro você de montão!!! Já sabe disso, né?
Jackie

Rangel de Jesus disse...

Olá, bom dia, primeiramente gostaria de ser grato pela consideração, confiança e carinho dispensados a nós no dihhit, bem como venho pedir desculpas na demora pelas respostas, é que são muitas notícias indicadas, assim queremos e nos esforçamos para responder a todos, muito obrigado.

Quanto a produção acima só tenho a dizer que está muito linda, gostaria de destcar a sua seguinte fala:

"Vivemos numa sociedade que a maioria das pessoas só se lembram dos amigos quando sentem necessidades deles por perto, quando precisam, quando são "obrigadas" a conviver contigo pois és a pessoa que tem por perto que melhor se sente ao seu lado. Elas gostam muito de ti, são as melhores pessoas para ti, mas quando encontram outros ambientes, quando se afastam, arranjam outros amigos".

Achei isso bem oportuno e é uma realidade, vejo como consequência da vida em sociedade, um prova de que temos necessidades do outro e, cada outro tem um pedacinho de nós, noutra vesão mais profunda:

'a amizade é carregar sempre em nós particulas de diversos outros que, consequente levam átomos nosso espalhando-os mundo afora'...

Parabéns mesmo pela produção, um grande abraço.

Samanta Sammy disse...

Olá Joel, sabe que estes dias vi uns comentários seus no dihitt que me trouxeram muitas reflexões, pois me agrada esta sua maneira objetiva, prática e sempre coerente de ver as coisas, embora a verdade nem sempre seja bonita.
Mas enfim, é a grande verdade.
É difícil uma amizade que dura e onde a entrega, respeito e amor sejam recíprocos, infelizmente o que vemos e vivemos é isso mesmo, somos descartáveis e também descartamos.
Tento ser uma pessoa diferente, e elejo alguns poucos amigos para me doar e com quem sei que posso contar nos momentos difíceis, mas confesso que cabem na contagem de 3 dedos...

Ótima reflexão, na veia !
Um enorme abraço e boa semana !